O masculino no filme Questão de Tempo

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Neste artigo, vamos explorar uma visão do masculino e do pai, dentro do filme “About Time” – Questão de Tempo:

  • Sociedade líquida
  • O papel do pai no desenvolvimento infantil
  • O pai no corpo
  • O resgate da história na visão do filme

Uma das grandes dificuldades do mundo contemporâneo das sociedades líquidas é a compreensão dos papéis em geral, especialmente neste caso da figura paterna. Num momento em que tudo muda a todo instante e em todos as manifestações da cultura e da sociedade, a figura paterna também sente-se impactada de tal forma, que.ja não se sabe ao certo qual sua função.

Se olharmos para alguns decênios anteriores, tínhamos papéis e figuras muito bem definidas, onde o pai exercia o rigor da punição e do provimento ao filho. Isso criava uma imagem endurecida,  longínqua e inacessível, tanto no desenvolvimento do masculino quanto na relação filho e pai.

Hoje, encontramos país exercendo funções que eram inconcebíveis como alimentação, cuidado e afeto dos filhos. Isso é muito bom, mas também insere mais dúvidas quanto ao desenvolvimento da figura masculina e do masculino na pessoa..

No desenvolvimento infantil, de uma forma generalíssima, a figura paterna é responsável por apresentar à criança, o mundo, as relações externas, os limites e as interações. Enquanto a figura materna está ligado ao cultivo da interioridade e do afeto, este leva a criança a olhar para si e para o mundo com confiança e fé. Como que se lhe apoiasse as costas, na região lombar e dissesse: “Vai! Estou aqui atrás te apoiando, vai”.

O hemisfério esquerdo do cérebro é o responsável pela parte pratica pela razão, voltada para a ação e controla o lado direito do corpo e o direito, como responsável pelo afeto e criatividade e controla o lado esquerdo do corpo. Em pessoas destras o lado direito e as costas tem correspondência com a masculinidade e a figura paterna, o lado esquerdo, a figura materna, em canhotos, ao contrário.

Então, a presença ou ausência da figura paterna no desenvolvimento infantil irá marcar o indivíduo de diversas formas, em primeiro lugar com o que Reich chamou de Couraças Musculares e posteriormente podem se desenvolver em manifestações de doenças.

É muito importante observar o corpo, porque nele ocorre a manifestação das emoções e sentimentos.

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

O filme “Questão de tempo” é um conto, onde o jovem Tim Lake recebe do masculino na família paterna o dom de viajar no tempo, ao passado, para vivenciar novamente situações e poder corrigi-las. E não é esta a proposta terapêutica? Visitar o meu passado e “ajustar” as emoções que ficaram bloqueadas?

Esta é uma grande lição que todo pai deveria ensinar ao seu filho: sempre podemos voltar aos momentos mais dolorosos em nossa vida, vivenciar as emoções dolorosas que não conseguimos lidar na época e liberá-las para uma vida mais livre. Esta é uma grande lição que os homens, nesta sociedade liquida, devem ensinar aos seus filhos.

No filme, o jovem Tim passa por diversas situações conflituosas e difíceis no processo de amadurecimento do  homem, como a juventude, a descoberta do amor, as responsabilidades da vida adulta e, por fim, a morte. Em todos os momentos, o filme nos propõe pistas de que ele resgata seus sofrimentos e dores através do processo de ressignificação e enfrentamento da dor.

E tudo isso, advém dos ensinamentos de seu pai, que o ensinou a “voltar no tempo”. O nosso tempo carece desse elemento masculino de afeto e cuidado, do ensinamento aos jovens que podemos resgatar nossas feridas e dar um novo sentido às nossas dores. Quanto mais homens “viajando no tempo” tivermos, tanto mais teremos novas gerações mais livres e conectadas ao masculino e ao feminino.

Referências sobre o filme:

IMDB

UNIVERSAL MOVIE

o bom dinossauro

O bom dinossauro e o Eneagrama

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

A nova animação da Disney, feita pela Pixar chamada O Bom Dinossauro é um roteiro emocionado, que faz toda criançada rir e se divertir.

Mas se olhar mais profundamente para o Dinossauro Arlo percebemos a formação básica do eneatipo 6 fóbico, auto-preservação, sexual e social reprimido.

A formação de sua personalidade fica clara desde o nascimento, quando o último a chocar o ovo, nasce com o corpo fraco, com pernas titubeantes e uma cabeça exagerada, tentando resolver os problemas físicos pensando.

Em todos os desafios que ele enfrenta está sempre a figura da culpa e do achar-se inferior aos irmãos, mas percebemos o desejo profundo de se posicionar, muito embora o medo o guie em todas as atividades.

Durante a jornada que seu pai quer lhe mostrar de coragem, mediante a busca da “fera” humana que come suas provisões, a morte do pai, numa clara tentativa de salvar o Arlo, imprinta mais ainda a culpa e a sensação de estar sozinho diante do mundo sem ter o pai para protegê-lo, que é o que ele busca em todo o filme: seu lugar (casa) onde se sente protegido.

Durante o decorrer do filme Arlo adota o “Spot”, seu amigo humano, o lado da coragem que ele mesmo desconhece de si. O Spot vai, como a figura da Criança Interior, despertando e dando confiança ao Arlo, desenvolvendo seu uivado e seu grito forte contra o que o aflige, transferindo a autoridade externa para dentro de si.

Em sua jornada de volta para casa, ele conhece os Tiranossauros (Eneatipo 8), que numa parceria inusitada, que geralmente acontece na vida real: a mente do 6 com a força e coragem do 8, Arlo descobre que a coragem é nativa, bastava ele enfrentar seu medo.

Outro aspecto muito presente em nosso Arlo é uma imaginação criativa, geralmente aumentando os problemas que ele tem a enfrentar, ampliada pelo medo.

Finalmente, ele tem que enfrentar seu maior medo: a sensação de ser culpado pela perda do seu protetor (pai) numa situação onde a emoção é muito próxima, so que desta vez ele precisa salvar o Spot, mostrando como ele sai da posição de protegido para protetor, amadurecendo seu caráter e assumindo a fé, através da coragem que descobriu durante a sua jornada de re-encontro.

Aspectos como medo, covardia, coragem, fé, fidelidade, acolhimento, doçura estão presente durante o filme todo.

Recomendo para todas as crianças do tipo 6 de qualquer idade.

203047.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx